Acompanhe as notícias de diversos veículos de comunicação

Adentrando os sertões

Data: 01/05/2015
Conheça o projeto que, desde 2000, leva saúde e cidadania ao interior do Brasil. Nesta edição da Revista DOC, mostraremos um pouco mais sobre esse programa social que hoje é um sucesso.

O programa Voluntários do Sertão foi criado no ano de 2000 pelo empresário Doreedson Pereira, mais conhecido como Dorinho. O projeto começou com a distribuição de cestas básicas e brinquedos em Alegre, sua cidade natal, Condeúba, e outras cidades vizinhas no sertão da Bahia (BA). Em 2006, passou a realizar atendimentos médicos e odontológicos, além de palestras e da distribuição de kits de saúde e higiene pessoal.
Para ampliar a atuação, em 2008, a Associação Voluntários do Sertão implantou o Programa de Capacitação e Geração de Renda, distribuindo kits de irrigação familiar, sementes de hortaliças, bandejas e substratos, além de capacitar os sertanejos para ajudar a aumentar a frota e beneficiar um número maior de pessoas. Cada kit de irrigação beneficia diretamente 30 famílias com produção de alimentos para subsistência, e o excedente é transformado em renda. Através de parcerias com empresários socialmente responsáveis, atualmente o projeto conta com 58 núcleos de Hortas Comunitárias que beneficiam 1.740 famílias em 13 municípios.
Em 2009, tornou-se uma organização do terceiro setor, ampliando seus objetivos, sendo hoje reconhecido nacionalmente como a maior ação de saúde e cidadania do interior da Bahia. Doreedson, empresário e presidente do projeto, resumiu um pouco sobre o que é o programa hoje e quais são suas perspectivas futuras. “O Voluntários do Sertão hoje é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP). Sua sede fica em Ribeirão Preto, São Paulo, e tem como objetivo promover, anual e gratuitamente, assistência social, saúde, segurança alimentar e nutricional para municípios carentes do interior da Bahia”.

Rotina dos voluntários

A equipe de voluntários é composta por médicos de diversas especialidades, dentistas, enfermeiros, psicólogos, pilotos, cozinheiros, motoristas, auxiliares administrativos e populares de boa vontade, liderada por especialistas das respectivas áreas. A caravana é composta por caminhões, aviões e vans que cortam o país e realizam uma maratona de atendimento que dura uma semana.
Segundo Dorinho, ter uma dupla função não é um trabalho nem um pouco fácil. Porém, de acordo com ele, pessoas que prestam esse tipo de serviço, geralmente são proativas, trabalham bem em equipe e tendem a ser mais flexíveis.
Sobre os médicos voluntariados, ele ressalta que esses profissionais conseguem conciliar seu tempo com a ONG, porque o mutirão acontece apenas uma vez por ano. “Algumas vezes, os voluntários chegam a tirar férias de seus trabalhos para que consigam participar. A organização também procura marcar a ação em ocasiões que ocorrem feriados prolongados, não prejudicando muito o dia a dia de quem participa de nossas ações”, complementa.
Por outro lado, o médico-cirurgião e voluntário Rolland Duarte opõe-se à afirmação sobre a facilidade de conciliação de tempo para estar presente no projeto, mas diz que sua participação no programa é um ato de amor. “Na verdade, não conseguimos conciliar as duas atividades ao mesmo tempo. O que fazemos é nos doar completamente ao projeto de voluntariado, deixando de lado por uma semana as nossas vidas, família, profissão e compromisso particulares. É um ato de amor e doação”, diz.

15ª edição do Projeto Voluntários do Sertão

Este ano, o programa celebra sua 15ª edição, com a meta de realizar 25 mil atendimentos médicos e odontológicos para a população das imedia- ções de Condeúba, cidade do interior da Bahia. “Neste ano, tivemos mais de 1.250 inscritos, dos quais foram escolhidos 250 voluntários para compor a caravana, e a expectativa é de que todos realizem mais de 25 mil atendimentos.”, comenta Marta Meire, gestora da organização.
O grupo busca, ainda, melhorias para beneficiar ainda mais a população, segundo Rolland Duarte. “A organização está continuamente buscando melhorias, aperfeiçoamentos e maneiras de otimizar e beneficiar o projeto e a população como um todo, de maneira que a implementação de novas mudanças positivas esteja sempre em pauta e em destaque no Voluntários de Sertão.”

Jornalista Victor Bellani para Revista DOC.